Início / Notícias / Mundo / China reforça segurança no 25º aniversário do protesto na Praça da Paz Celestial

China reforça segurança no 25º aniversário do protesto na Praça da Paz Celestial

China reforça segurança no 25º aniversário do protesto na Praça da Paz CelestialA China adotou nesta quarta-feira (4) um vasto esquema de segurança para evitar quaisquer manifestações relacionadas à repressão aos protestos pró-democracia no entorno da Praça da Paz Celestial, também conhecida como Praça Tiananmen, há 25 anos.

A polícia foi espalhada pelas ruas enquanto censores vasculhavam a Internet para eliminar qualquer menção aos eventos da época

Vários governos, incluindo os Estados Unidos, fizeram um chamado à China para que revele que ocorreu com os manifestantes em 4 de junho de 1989, o que irritou o governo chinês, que considera o movimento “contra-revolucionário”.

O líder espiritual tibetano, o Dalai Lama, aproveitou o aniversário para pedir à China que adote a democracia. A China nunca divulgou uma cifra de mortos na repressão, mas grupos de defesa dos direitos humanos e testemunhas estimam o total entre várias centenas ou vários milhares.

As tropas chinesas abriram caminho pelo centro de Pequim depois que manifestantes tomaram a praça Tiananmen por cerca de seis semanas. Houve também protestos em muitas outras cidades.

Nesta quarta, polícia, soldados e pessoal da segurança à paisana checavam documentos de identidade e revistavam sacolas em busca de qualquer indício de que alguém estivesse tentando entrar na praça para lembrar o aniversário da repressão.

Repressão

A China defendeu a sangrenta repressão às manifestações pró-democracia em torno da Praça, dizendo que adotou o caminho correto para o bem do povo.

Para o governista Partido Comunista, as manifestações de 1989 que tomaram a Praça Tiananmen em Pequim e se espalharam por outras cidades permanecem tabu depois que o governo classificou os protestos como “contra-revolucionários”.

O aniversário da data em que as tropas saíram atirando pelo centro de Pequim em 1989 nunca foi lembrado publicamente na China continental, embora todos os anos ocorram eventos em Hong Kong, devolvida pelos britânicos à China em 1997, bem como em Taiwan, que tem governo próprio e a China reivindica como parte de seu território.

Nunca foi divulgado o número de mortos pelo governo na repressão, mas grupos de defesa dos direitos humanos estimam que tenham sido milhares e testemunhas falam de centenas ou vários milhares.

“O governo chinês chegou há muito tempo a uma conclusão sobre a turbulência política no final dos anos 1980”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hong Lei, em seu contato diário com a imprensa.

“Nas últimas décadas de reforma e abertura na China, as enormes conquistas no desenvolvimento social e econômico têm recebido atenção mundial. A construção de democracia e do Estado de direito continua a ser aperfeiçoada”, disse ele.

Último Segundo

Sobre Redação Clip PB

Fundado em Dezembro de 2013, o Portal Clip PB é uma revista eletrônica online sediada em Campina Grande (PB), e tem como principal objetivo manter os internautas paraibanos informados com as notícias do Estado primando sempre pela qualidade, rapidez e imparcialidade dos fatos.

Powered by keepvid themefull earn money

Redação Clip PB

Olá! Em que podemos te ajudar?

Olá! Em que podemos te ajudar?

ENTER para iniciar